in

Dieta da água: O que é, Benefícios e Como Functiona

Como fazer a dieta da água para emagrecer e perder peso

Tudo o que você precisa saber antes de começar a Dieta da Água

 

A dieta da água, também conhecida como jejum de água, é um regime de restrição absoluta de todos os alimentos e bebidas que não a água. Esse tipo de jejum pode até levar ao emagrecimento, mas é seguro? E será que os efeitos são duradouros?

 

Não é só a perda de peso que motiva a adoção do jejum de água. Muitas pessoas entram nesse regime por motivos espirituais, religiosos, ou para combater problemas de saúde bem específicos. Pesquisas sugerem que jejuar uma vez ou outra pode sim ajudar na perda do peso, mas que outras dietas provavelmente são mais eficazes, a longo prazo.

 

É imprescindível se preparar bem antes de entrar na dieta da água, para que ela seja feita com o máximo de segurança possível. O momento certo deve ser escolhido, preferencialmente quando o corpo não precisar de tanta energia.

 

O que é jejum de água?

 

Um jejum de água é o que o próprio nome sugere: não comer nem beber nada além de água, em uma determinada janela de tempo.

 

Essa janela não é fixa, e pode durar mais ou menos. Recomendações médicas geralmente indicam de 24h a 3 dias como o tempo máximo para jejuar.

 

Jejuar não é uma novidade. Na história da humanidade, pessoas se submeteram aos jejuns por razões diversas, mas principalmente espirituais ou religiosas. O jejum de água readquiriu popularidade hoje em dia por causa dos movimentos em prol de uma vida mais saudável e natural, que muitas vezes andam de mãos dadas com a prática da meditação.

 

Benefícios

 

Pessoas com fatores de risco para determinadas doenças podem se beneficiar do jejum de curto prazo. Essas incluem:

  • doenças cardiovasculares
  • pressão alta
  • colesterol alto
  • diabetes
  • obesidade

 

Geralmente, esses riscos estão relacionados uns com os outros. Quando o corpo não recebe carboidratos, sua fonte primária de energia, acaba queimando gorduras. Por isso o jejum resulta em perda de peso, já que o corpo começa a consumir as gorduras para abastecer as células.

 

De acordo com especialistas, a melhor maneira de perder peso é pegar leve e ir devagar, combinando uma dieta saudável com a prática regular de exercícios. É também necessário mudar alguns hábitos alimentares ruins, reduzindo, por exemplo, o consumo de açúcar e lanchinhos.

 

O jejum de água é seguro?

 

Apesar de todos os potenciais benefícios mencionados acima, também são grandes os riscos trazidos pelo jejum de longo prazo, ou por um jejum curto feito por alguém com saúde debilitada, ou cuja idade os coloque em risco.

 

Pessoas com problemas de saúde preexistentes ou que pretendam jejuar por mais de 24 horas devem buscar orientação médica, para que seu jejum seja supervisionado.

 

O jejum de água não é seguro para todos, e idosos, menores de 18 anos ou pessoas abaixo do peso devem evitá-lo.

Re

 

Pesquisas

 

Ao invés de entrar em longos períodos de jejum, adotar um jejum intermitente pode ser uma boa opção. No jejum intermitente, alternam-se períodos de alimentação baixa ou zero com períodos de alimentação normal. Um exemplo é a dieta 5:2, na qual a pessoa come normalmente 5 dias na semana, e reduz a ingestão calórica a ¼ do normal 2 dias na semana.

 

Um estudo comparando o jejum intermitente e uma dieta de restrição de calorias concluiu que ambos os métodos ajudam na perda do peso, bem como na redução do risco de câncer, diabetes e doenças cardíacas. O jejum intermitente se mostrou tão fácil de manter quanto uma dieta de baixa caloria.

 

Outras pesquisas feitas em animais demonstram que o jejum pode proteger contra certas doenças, como diabetes, e tem o potencial de retardar o envelhecimento. Praticar o jejum regularmente, por curtos períodos de tempo, pode levar a menores taxas de diabetes, menor IMC e menor risco de doença arterial coronariana.

 

Existe ainda um grande porém: faltam estudos extensos sobre o jejum em humanos. O jejum, apesar de aparentemente bom para a pressão sanguínea, peso e artrite reumatóide, tem efeitos a longo prazo desconhecidos. Ele pode causar efeitos adversos no sistema imunológico de adultos mais velhos, por exemplo. Por isso, é recomendado a todos que busquem orientação médica antes de começar a dieta da água.

 

Quem não deve jejuar?

 

A dieta da água não é segura para todos. Algumas pessoas não devem jejuar, ou pelo menos devem buscar orientação médica antes de tentar. Dentre elas, estão idosos, menores de 18 anos e pessoas que:

 

  • sofrem com algum distúrbio alimentar
  • estão abaixo do peso
  • estiverem grávidas ou amamentando
  • têm problemas cardíacos
  • têm diabetes tipo 1
  • têm enxaqueca descontrolada
  • passam por transfusão de sangue
  • estão tomando medicamentos específicos

 

Algumas dicas

 

Para quem nunca jejuou antes, é melhor começar com um jejum simples de 1 dia para testar as águas e ter certeza que não terá uma experiência negativa. O jejum por mais de 3 dias nunca deve ser feito sem a supervisão de um profissional médico.

 

O jejum de água pode ser mental e fisicamente cansativo. Por isso, alguns preparativos são necessários:

 

  • comer bem antes do jejum, com alimentos que dão bastante energia
  • escolher um horário de pouca atividade para jejuar, como um dia de folga
  • evitar o jejum se estiver doente ou muito cansado
  • evitar exercícios intensos durante o jejum
  • considerar entrar em jejum aos poucos, diminuindo gradualmente o tamanho das refeições

 

É essencial tomar bastante água durante o jejum (afinal, o nome é jejum de água) durante o dia todo, de maneira desconcentrada. Beber demais é desaconselhado, por mais tentador que seja.

 

No fim do jejum de água, o retorno à alimentação normal deve ser gradual para evitar dores no estômago ou enjôo.

 

O que pode acontecer

 

Durante o jejum, seu corpo não recebe a energia que precisa. É natural, então, sentir-se cansado e sem energia, bem como tonto, fraco ou enjoado. Se qualquer um desses sintomas parecer exacerbado, é importante interromper o jejum e comer alguma coisa.

 

Você pode economizar energia descansando bastante, permanecendo sentado e evitando exercícios intensos. Sentir-se irritado ou cansado da falta de comida é normal, mas ficar desorientado ou confuso, não é, e requer aconselhamento médico.

 

Artigos relacionados:

 

Conclusão

 

Apesar do jejum de água trazer alguns benefícios para a saúde, é preciso ser realista nas expectativas. Ele não é mais eficiente para o emagrecimento do que um regime normal de restrição calórica. Aliás, uma dieta normal é provavelmente mais segura.

 

Alternativas como o jejum intermitente podem ser mais benéficas do que a dieta da água, pelo menos em termos de redução dos fatores de risco de doenças cardíacas e diabetes. Sem falar que são mais sustentáveis, a longo prazo.

Written by hello

Nutrição Enteral e Parenteral: Conheça as diferenças entre nutrição Enteral e Parenteral

Dieta para Gastrite – Alimentos, Cardápio, Causas e Dicas