in , ,

Cardapio de dieta para gordura no figado: O que é, e como tratar

Dieta para quem tem gordura no figado: Quem tem gordura no figado o que não pode comer

Gordura no figado dieta: Fígado gorduroso: O que é, e como tratar

 

A doença do fígado gorduroso é um problema crescente em muitas partes do mundo, afetando cerca de 25% de toda a população global. Ela está associada à obesidade, diabetes tipo 2 e outras doenças caracterizadas pela resistência à insulina.

 

Pior ainda, se o fígado gorduroso não for tratado, pode acabar causando doenças mais graves, e outros problemas de saúde.

 

O que é fígado gorduroso?

 

Uma pessoa tem fígado gorduroso quando muita gordura fica acumulada nas células do fígado. Apesar de ser normal ter um pouco de gordura nessa região, o fígado passa a ser considerado gordurosos se mais de 5% for composto de gordura.

 

Apesar de beber álcool em excesso poder causar o fígado gorduroso, na maioria dos casos não é essa a causa.

 

A maioria dos casos de fígado gorduroso caem sob a categoria de doença hepática não alcoólica, o tipo mais comum em adultos e crianças no Ocidente.

 

Fígado gorduroso não alcoólico é o primeiro passo – reversível – de uma doença hepática. Infelizmente, pode passar despercebido e não ser diagnosticado. Com o tempo, pode levar a condições hepáticas mais graves, como a esteatose hepática.

 

A esteatose hepática envolve maior acumulação de gordura e inflamação que podem danificar as células do fígado. Isso pode causar fibrose, porque as células do fígado estão constantemente sendo atacadas, e acabam morrendo.

 

Além de tudo, essa condição é associada a riscos maiores de outras doenças, como doença cardíaca, diabetes e doenças renais.

 

O que causa o fígado gorduroso?

 

Muitos fatores estão envolvidos nessa condição, sendo alguns:

 

  • Obesidade: A obesidade envolve inflamação de baixo grau que pode promover o armazenamento de gordura no fígado. Estima-se que 30-90% dos adultos obesos tenham gordura no fígado, e a quantidade em crianças vai aumentando devido à epidemia de obesidade infantil.
  • Excesso de gordura abdominal: as pessoas com peso normal podem desenvolver fígado gorduroso se tiverem gordura abdominal, ou seja: se tiverem aquela barriguinha exagerada.
  • Resistência à insulina: a resistência à insulina e os altos níveis de insulina aumentam o armazenamento de gordura no fígado em pessoas com diabetes tipo 2 e síndrome metabólica.
  • Alta ingestão de carboidratos simples: a ingestão frequente de carboidratos refinados promove o armazenamento de gordura no fígado, especialmente quando grandes quantidades são consumidas por indivíduos que já tem sobrepeso ou são resistentes à insulina.
  • Consumo de bebidas açucaradas: bebidas adoçadas com açúcar, como refrigerantes e bebidas energéticas, impulsionam o acúmulo de gordura no fígado em crianças e adultos.
  • Saúde intestinal debilitada: pesquisas recentes sugerem que ter um desequilíbrio nas bactérias intestinais, problemas com a barreira intestinal (“intestino permeável”) ou outros problemas de saúde intestinal podem contribuir para o desenvolvimento de fígado gorduroso.

 

Sintomas de fígado gorduroso

 

Existem vários sinais e sintomas de fígado gorduroso, embora não sentir um deles não signifique que você não tem a doença.

 

De fato, você pode nem perceber que tem fígado gorduroso.

 

  • Fadiga e fraqueza
  • Ligeira dor ou sensação de estufamento na área abdominal direita ou central
  • Níveis elevados de enzimas hepáticas
  • Níveis elevados de insulina
  • Níveis elevados de triglicerídeos

 

Se o fígado gordo progredir para esteatose hepática, os seguintes sintomas podem aparecer:

 

  • Perda de apetite
  • Náusea e vômito
  • Dor abdominal moderada a grave
  • Amarelamento dos olhos e pele

 

É importante consultar seu médico regularmente para ficar em dia com seus exames e estar apto a diagnosticar o fígado gorduroso cedo, em seu estágio reversível.

 

Dieta para quem tem gordura no fígado

 

Existem muitas coisas que você pode fazer para controlar o fígado gorduroso, incluindo adotar um cardápio de dieta para gordura no fígado.  Além disso, alguns elementos específicos parecem ajudar nessa condição.

 

Emagreça e evite comer demais, se estiver acima do peso

 

Não tem jeito, a perda de peso é a melhor estratégia para reverter o fígado gorduroso, caso você esteja acima do peso ou obeso.

 

De fato, a perda de peso promove perda de gordura hepática em adultos, independentemente de ter sido causada por mudanças na dieta, cirurgia, ou exercícios.

 

Em um estudo de três meses com adultos acima do peso, a redução de 500 calorias da ingestão diária levou a uma perda de 8% do peso corporal, em média, e a uma diminuição significativa no nível de gordura no fígado.

 

Além disso, os benefícios trazidos pelo emagrecimento persistem, mesmo se você voltar a engordar um pouquinho depois.

 

Limite os carboidratos, especialmente os refinados

 

Pode parecer, a primeiro relance, que o melhor jeito para reduzir a gordura no fígado é reduzir a gordura na dieta, certo? Parece lógico.

 

Só que as pesquisas apontam que apenas 16% da gordura do fígado vem de gordura obtida através da dieta. A maior parte da gordura extra vem de ácidos graxos no sangue, e 26% da gordura no fígado é formada em processado chamado lipogênese.

 

Durante a lipogênese, carboidratos que estão sobrando no corpo viram gordura. A lipogênese tende a ocorrer em maior proporção com o consumo de alimentos e bebidas ricos em frutose.

 

Em um estudo de três semanas, adultos obesos consumindo uma dieta rica em calorias e carboidratos refinados tiveram aumento de 27% na gordura do fígado, em média, mesmo seu peso só aumentando 2%.

 

Estudos mostram que dietas pobres em carboidratos refinados podem reverter o fígado gorduroso. Elas incluem as dietas propriamente low carb, mas também a dieta mediterrânea e a do índice glicêmico.

 

Em outra pesquisa, a gordura hepática e a resistência à insulina diminuíram bastante em pessoas consumindo uma dieta mediterrânea, comparadas com aquelas consumindo uma dieta high carb e low fat, mesmo a perda de peso sendo semelhante nas duas.

Estudos independentes mostraram que a dieta mediterrânea e a low carb reduzem bastante a gordura hepática por conta própria, mas um estudo juntando as DUAS dietas mostrou resultados ainda mais impressionantes!

 

Neste estudo, 14 homens obesos com fígado gordurosos seguiram uma dieta mediterrânea cetogênica. Depois de 12 semanas, 13 deles mostraram reduções na gordura do fígado, incluindo três que reverteram totalmente a situação!

 

Inclua alimentos que promovam a perda de gordura

 

Além de cortar os carboidratos e reduzir o consumo calórico geral, existem alguns alimentos em particular que podem ser ótimos em uma dieta para gordura no fígado:

 

  • Gorduras monoinsaturadas: Pesquisas apontam que comer alimentos ricos em ácidos graxos monoinsaturados, como o azeite, abacates e nozes, pode levar à perda de gordura hepática.
  • Whey: Whey protein – O consumo de whey tem se mostrado um aliado nessa batalha, reduzindo até 20% da gordura visceral em mulheres obesas. Além disso, pode ajudar no controle das enzimas do fígado, e trazer mais benefícios para quem já está em um estágio avançado de doença hepática.
  • Chá verde: Um estudo concluiu que os antioxidantes no chá verde ajudam a diminuir a gordura visceral, bem como a inflamação por ela causada, em pessoas com fígado gorduroso.
  • Fibras solúveis: Há evidências científicas apontando que o consumo de 10 a 14 gramas de fibra solúvel por dia pode ajudar na queima de gordura visceral, redução das enzimas do fígado e melhoria na sensibilidade à insulina

 

Exercícios bons para combater o fígado gorduroso

 

Não é só a mudança na dieta que ajuda a controlar o fígado gorduroso! Atividade física é uma estratégia eficaz para reduzir a gordura visceral, também.

 

Estudos mostram que praticar exercícios de resistência ou treino de resistência várias vezes por semana pode reduzir significativamente a quantidade de gordura armazenada nas células hepáticas, independentemente de ocorrer perda de peso.

 

Em um estudo de quatro semanas, 18 adultos obesos com fígado gorduroso que se exercitaram por 30 a 60 minutos, cinco dias por semana, sofreram uma redução de 10% na gordura hepática, embora seu peso corporal não tenha mudado.

 

Treino de alta intensidade também se mostrou benefício no controle da situação.

 

Em um estudo com 28 pessoas com diabetes tipo 2, o treino de alta intensidade feito por 12 semanas levou a uma incrível redução de 39% da gordura hepática.

 

Mas não precisa se preocupar! Exercícios de baixa intensidade também podem ser eficazes em queimar a gordura do fígado. De acordo com um estudo italiano, não é a intensidade que importa, e sim a consistência. O quanto você se exercita, no geral.

 

Nesse estudo, 22 diabéticos que se exercitavam duas vezes por semana durante 12 meses tiveram reduções boas na gordura hepática e abdominal, independentemente da intensidade do exercício ser baixa, média ou alta.

 

A melhor estratégia nesse caso é achar um exercício que você curta, e consiga manter no longo prazo.

 

Alguns suplementos podem ajudar!

 

Vários estudos sugerem que certas vitaminas, ervas e outros suplementos podem ajudar a reduzir a gordura hepática e impedir a progressão da doença.

 

Entretanto, os especialistas dizem que ainda são necessária mais pesquisas para afirmar qualquer benefício para a maioria dos casos.

 

Não esqueça de primeiro conversar com seu médico, antes de tomar qualquer suplemento – especialmente se você já estiver sob tratamento.

 

Cardo mariano

 

O cardo mariano, ou silimarina, é uma erva conhecida por seus efeitos protetivos do fígado.

 

Alguns estudos descobriram que o cardo mariano, por só só ou combinado com vitamina E, pode ajudar a reduzir a resistência à insulina, inflamação, e danos no fígado em pessoas com fígado gorduroso.

 

Em uma pesquisa de 90 dias com pessoas com fígado gorduroso, o grupo que tomou um suplemento de silimarina e vitamina E em uma dieta hipocalórica teve uma diminuição em até duas vezes da gordura hepática, comparados com o grupo que seguiu a mesma dieta, mas sem o suplemento. Para efeitos deste estudo, as dosagens de cardo mariano foram de 250 a 375 mg por dia.

 

Entretanto, apesar dos especialistas acreditarem que o cardo mariano seja promissor no tratamento do fígado gorduroso, mais estudos são necessários para confirmar a eficácia no curto e longo prazo.

 

Berberina

 

A berberina é um composto vegetal capaz de reduzir significativamente os níveis de açúcar no sangue, bem como a insulina, colesterol, e outros indicadores de saúde.

 

Vários estudos sugerem que a berberina pode ser benéfica para quem tem fígado gorduroso.

 

Em um estudo de 16 semanas com 184 pessoas com fígado gorduroso submetidos a uma dieta de restrição de calorias associada a pelo menos 150 minutos de exercício por semana, o grupo que tomou 500 mg de berberina três vezes ao dia perceberam melhores na sensibilidade à insulina, bem como uma redução de 52% na gordura hepática.

 

Entretanto, mesmo com esses resultados promissores, os pesquisadores lembram que mais estudos são necessários para confirmar a eficácia da berberina no tratamento do fígado gorduroso.

 

Ômega-3

 

Os ácidos graxos ômega-3 são tidos como super benéficos à saúde em geral. O ômega-3 de cadeia longa é encontrado em peixes gordurosos, como salmão, arenque e cavala.

 

Vários estudos mostram que tomar ômega-3 pode aprimorar a saúde hepática em adultos e crianças com fígado gorduroso.

 

Em um estudo controlado com 51 crianças acima do peso com fígado gorduroso, o grupo que tomou suplemento de ômega-3 teve uma redução de 53% na gordura hepática, em comparação com 22% do grupo placebo. O grupo que de fato suplementou o ômega-3 também perdeu mais gordura da barriga e ao redor do coração.

 

Além disso, um estudo com 40 adultos com fígado gorduroso mostrou que 50% daqueles tomando óleo de peixe apresentaram reduções na gordura hepática, enquanto 33% reverterem totalmente o quadro de fígado gorduroso.

 

Para esses estudos, a dosagem usada de ômega-3 foi de 500 a 1.000 mg por dia para crianças, e de 2 a 4 gramas por dia para adultos.

 

Embora todos os estudos citados tenham usado óleo de peixe como suplemento, os mesmos benefícios podem ser apreciados consumido peixes ricos em ômega-3 várias vezes na semana, sem a necessidade de tomar suplementos.

 

É importante lembrar que esses estudos apenas mostram o potencial do ômega-3 de melhorar as suas chances quando associado a uma mudança de estilo de vida. É preciso tomá-lo junto de uma dieta saudável, e não deixar de lado um regime consistente de exercícios.

 

Conclusão

 

O fígado gorduroso pode acarretar em vários outros problemas de saúde. Felizmente, ele é reversível se for atacado no estágio inicial.

 

Depois de adotar uma dieta para gordura no fígado, aumentar a frequência das atividades físicas e (talvez) tomar alguns suplementos, o excesso de gordura hepática pode diminuir, diminuindo assim também o risco de acabar se tornando uma doença hepática mais grave.

Written by hello

Dieta Atkins: Como fazer e alimentos permitidos

Dieta sem glúten: Lista Completa de Alimentos sem Glúten