in , ,

Dieta para quem tem refluxo: Sintomas do refluxo, O que comer e o que evitar

Dieta para refluxo – Alimentos para quem tem refluxo (refluxo gastroesofágico)

Doença do refluxo gastroesofágico (DRGE)

A doença do refluxo gastroesofágico é uma condição na qual o conteúdo do estômago se move de volta ao tubo alimentar.

 

Essa regurgitação costuma ser de longo prazo, e pode acarretar sintomas desagradáveis, incluindo azia e dor no abdômen. A severidade da condição depende da dieta e do estilo de vida, geralmente.

 

A DRGE (doença do refluxo gastroesofágico) afeta cerca de 20% da população. Não é a toa que dietas para refluxo são tão populares.

 

Evitar alimentos conhecidos por causarem refluxo, e seguir outras dicas alimentares pode ajudar a aliviar os sintomas da DRGE. Neste artigo, falamos sobre os alimentos que pessoas com DRGE devem excluir da sua dieta, e aqueles que podem lhes ser benéficos.

 

Alimentos para quem tem refluxo

 

Comidas a evitar

Alguns alimentos podem causar sintomas relacionados à DRGE.

DRGE é um problema digestivo, então o que você come é muito relevante, e pode afetar os sintomas relacionados. Mudar a sua dieta e estilo de vida pode ajudar em muito no controle e tratamento de muitos tipos de DRGE.

 

Um artigo publicado em uma revista de gastroenterologia encontrou uma conexão entre esofagite, uma inflamação causada pela DRGE, e a alta ingestão de certos alimentos.

 

Os alimentos que podem piorar os sintomas do refluxo, ou da esofagite, são:

 

  • carne, pois tende a ser um alimento rico em colesterol e ácidos graxos
  • óleos e alimentos ricos em gordura, que podem fazer com que o esfíncter relaxa
  • sal em excesso
  • alimentos ricos em cálcio, como leite e queijo, que são fontes de gorduras saturadas

 

Leite

Um estudo examinou a relação entre alergia ao leite de vaca e sintomas de DRGE em crianças.

Os pesquisadores descobriram que crianças com alergia freqüentemente experimentam sintomas de DRGE após consumir leite de vaca. Pesquisas em andamento estão investigando se isso também se aplica a adultos.

 

Pessoas que sentem desconforto ou inchaço depois de ingerir produtos lácteos que contenham leite de vaca podem se beneficiar da eliminação desses alimentos de sua dieta, para aliviar os sintomas.

 

Colesterol

Outro estudo explorou a relação entre colesterol e DRGE. Os resultados indicaram que as pessoas que consumiram mais colesterol e gordura saturada, e cuja maior parte das calorias diárias vinha de gordura, apresentaram maior probabilidade de apresentar sintomas de DRGE.

 

Outros gatilhos

Existem outros alimentos que podem causar surtos de DRGE,  e que os médicos geralmente pedem que as pessoas evitem, se sofrerem com essa condição. Eles incluem:

 

  • chocolate
  • hortelã
  • bebidas gaseificadas
  • bebidas ácidas, como suco de laranja e café
  • cafeína
  • alimentos ácidos, incluindo molho de tomate

 

Há pouca evidência clínica ligando esses alimentos aos sintomas da DRGE, mas as experiências anedóticas de algumas pessoas com a doença sugerem que esses alimentos podem piorar os sintomas.

 

Entretanto, a reação a determinados alimentos pode variar de pessoa para pessoa. Por isso, é interessante que pessoas com refluxo tentem uma dieta de eliminação, testando se alimentos específicos lhe causam problemas. Caso eles não lhes causem sintomas, podem ser incorporadores de volta à dieta.

 

Comidas que fazem bem

Alguns alimentos podem ativamente ajudar a combater os sintomas do refluxo.

Até muito recentemente, os cientistas não compreendiam perfeitamente a DRGE. Por isso, faltava evidência científica para afirmar com certeza que mudar a dieta teria algum resultado significativo no quadro clínico.

 

Entretanto, em 2013 um estudo com mais de 500 pessoas descobriu que algumas comidas são, sim, capazes de aliviar os sintomas do refluxo.

 

Elas incluem:

  • fontes de proteínas de baixo colesterol, como salmão, truta, amêndoas, aves magras, feijão e lentilhas
  • certos carboidratos provenientes de frutas, vegetais, batatas e alguns grãos integrais
  • alimentos ricos em vitamina C, como frutas e legumes
  • frutas com alto teor de fibras, magnésio e potássio, especialmente frutas silvestres, maçãs, peras, abacates, melões, pêssegos e bananas
  • ovos, apesar do seu teor alto de colesterol
  • verduras, como espinafre, couve, aspargos e couve de bruxelas

 

A dieta de eliminação de gatilhos

 

A dieta de gatilhos envolve a eliminação de alimentos comuns, como café e chocolate, para evitar sintomas do refluxo. Não há muito apoio clínico para essa estratégia, e os resultados variam de pessoa para pessoa.

 

A dieta de eliminação de gatilhos não é recomendada pelos profissionais, porque é difícil provar a relação entre esses alimentos e os sintomas.

 

Ao invés disso, eles acreditam que um tratamento ideal deve curar o sistema digestivo.

 

Okay, mas o que é DRGE?

 

Quando uma pessoa engole, a comida passa pelo tubo digestivo, e vai para o estômago. Um anel de tecido muscular chamado esfíncter inferior do esôfago se contrai depois de permitir a entrada de alimentos no estômago, impedindo que os alimentos retornem ao tubo de alimentos.

 

Se o esfíncter esofágico não fechar corretamente, o conteúdo do estômago poderá vazar de volta pelo tubo alimentar, causando o refluxo.

 

Se os sintomas da DRGE ocorrerem mais de duas vezes por semana, por um período superior a 3 semanas, a condição é considerada crônica.

 

Às vezes, as pessoas se referem à DRGE como refluxo ácido ou azia, mas esses são tecnicamente sintomas da doença e não condições por si só.

 

Sem tratamento, a DRGE pode levar a graves problemas de saúde, como o esôfago de Barrett, quando as células que revestem o tubo alimentar se tornam defeituosas e podem virar câncer.

 

Sintomas do refluxo

 

O principal sintoma da DRGE é a azia, uma sensação dolorosa que pode ir desde uma sensação de queimação no peito, a uma sensação de comida grudada na garganta. Também é relativamente comum sentir náusea depois de comer.

 

Alguns sintomas menos comuns da DRGE são:

 

  • soluços
  • arrotos
  • chiado ou tosse fraca
  • dor de garganta
  • alterações na voz, incluindo rouquidão
  • regurgitação de alimentos

 

Deitar-se imediatamente após comer pode piorar os sintomas. Às vezes, as pessoas percebem que os sintomas pioram durante a noite. Se for o seu caso, você pode sentir alívio elevando a cabeça enquanto dorme e evitando comer pelo menos 2 horas antes de ir para a cama.

 

Tratamentos: Refluxo tem cura? Qual o tratamento?

 

Os sintomas da DRGE são completamente tratáveis.

Você pode comprar medicamentos sem receita médica para tratar a DRGE. Estes incluem antiácidos, que neutralizam o ácido estomacal.

 

Outra opção é um bloqueador dos receptores H2, o que pode diminuir a produção de ácido estomacal por até 12 horas.

 

Os medicamentos prescritos podem incluir medicamentos antiácidos mais fortes ou bloqueadores de ácidos. Embora sejam eficazes, eles reduzem o nível de ácido estomacal. Esse ácido é responsável pela maior parte da absorção de vitamina B12 dos alimentos durante a digestão. Portanto, o uso frequente de antiácidos, IBPs ou inibidores do receptor H2 pode levar à deficiência de vitamina B12.

 

O baclofeno é um medicamento que pode ajudar a controlar os sintomas, reduzindo o relaxamento do esfíncter do esôfago. No entanto, o baclofeno pode causar efeitos adversos, incluindo fadiga e confusão.

 

O que mudar na dieta para mitigar os sintomas

 

O tratamento da DRGE envolve um plano que deve considerar fatores adicionais além de mudanças superficiais na dieta.

 

Para muitas pessoas com problemas digestivos, restaurar o equilíbrio da flora bacteriana no intestino pode ser necessário.. Comer alimentos fermentados e probióticos pode ajudar nisso.

 

Os probióticos podem reduzir os problemas digestivos, equilibrando o sistema digestivo como um todo. Os prebióticos são alimentos ricos em fibras que nutrem apenas as  bactérias benéficas.

 

Os alimentos que contêm probióticos naturais incluem:

 

  • iogurte
  • chucrute cru
  • pickles e vegetais crus fermentados
  • kombucha, uma bebida fermentada de chá

 

Alimentos ricos em prebióticos incluem:

 

  • fibra de raiz de chicória ou inulina
  • bananas verdes
  • cebolas
  • alho
  • alho-poró
  • maçãs

 

Pessoas com DRGE podem se beneficiar da adição de probióticos e prebióticos na dieta, sentindo uma melhoria nos sintomas. Os probióticos ajudam a combater uma cepa bacteriana conhecida como Helicobacter pylori, que alguns cientistas acreditam estar relacionada à DRGE. Mas não se empolgue; mais pesquisas são necessárias para confirmar isso.

 

Remédios naturais

 

Outros tratamentos naturais que podem aliviar os sintomas da DRGE incluem alcaçuz desglicirrizado, gengibre e pó escorregadio da casca do Olmo, que podem reduzir os sintomas, aliviar náuseas e melhorar a função gástrica.

 

O olmo contém altos índices de mucilagem. A mucilagem pode revestir e acalmar a garganta e o estômago. Também pode fazer com que o estômago secrete muco,  que ajuda a protegê-lo dos danos causados ​​pelo seu próprio ácido.

 

Pesquisas realizadas em 2010 sugerem que um suplemento oral de melatonina também pode ajudar a tratar os sintomas da DRGE. No entanto, isso seria apenas mais um aspecto de um tratamento amplo, e melhores estudos são necessários para confirmar essa relação.

 

Um artigo publicado no Archives of Internal Medicine sugere que perder peso e manter a cabeça erguida enquanto dorme pode minimizar os sintomas da DRGE.

 

Conclusão

Apesar da DRGE ser considerada um problema crônico, não precisa ser permanente!

Você pode adotar uma dieta para quem tem refluxo, mudando seu estilo de vida e integrando outros tratamentos capazes de aliviar os sintomas. Se nenhum funcionar, há a opção de se submeter a uma cirurgia de fortalecimento do esfíncter do esofago.

Fazer o tratamento certo é a chave para ter uma vida boa e saudável, apesar de ter DRGE. Por isso, é importantíssimo falar com um médico antes de tomar qualquer atitude.

Written by hello

Alimentos bom para o figado: Remédio caseiro para gordura no fígado

Remedio para emagrecer rapido e barato em uma semana