6 benefícios da terapia do óleo (Oil Pulling) - e como fazê-lo
Previous
RANDOM
Leite de amêndoa: 9 benefícios do leite de amêndoa para a sua saúde
Next

Óleo de coco: benefícios, usos e efeitos colaterais

por Isabela Ramirez on maio 7, 2020

20 Beneficios, usos e efeitos colaterais do oleo de coco

O óleo de coco tem seus benefícios – e riscos. Fique atento a este precioso óleo que faz parte de uma indústria multibilionária.

 

O coco pode ser considerado uma das frutas tropicais mais doces da Mãe Natureza (alguns consideram o coco uma semente ou uma castanha, dependendo de quem você perguntar).

Cientistas e especialistas em alimentos não sabem ao certo nem quando nem de onde vieram os cocos, mas o melhor palpite é que os cocos são uma variedade de plantas pré-históricas originárias do Pacífico Sul – provavelmente na Nova Guiné.

 

Alegadamente, os marinheiros a bordo da frota de Vasco de Gama apelidaram a fruta com o nome “coco” – jargão do marinheiro para um rosto carrancudo e parecido com um ogro. Quando os “cocos” foram trazidos de volta e introduzidos na Inglaterra, os habitantes locais acrescentaram o termo “nut” ao coco, dando-lhe o nome ainda hoje amplamente utilizado. No Brasil, o termo “nut” refere-se aos frutos secos ou oleaginosas, o conjunto de alimentos composto por castanhas, sementes etc.

 

Os nutricionistas consideram que polpa do coco é abundante em proteínas, enquanto o leite de coco é leve, refrescante com baixo nível de açúcar. Além de ser um alimento básico do Pacífico Sul, os cocos também têm outros usos. Por exemplo, os nativos usaram coco como repelente de insetos (os mosquitos odeiam o cheiro e a fumaça de uma casca de coco queimada).

 

Talvez o ingrediente mais útil dentro de um coco seja o óleo, que, segundo os defensores dos alimentos saudáveis, contribui para níveis mais altos de energia e um metabolismo mais forte. De fato, os benefícios do óleo de coco (e alguns riscos) tornaram-se um tópico importante nos círculos de saúde e nutrição, à medida que mais e mais pessoas recorrem ao óleo de coco para melhorar seus hábitos de bem-estar.

 

A partir de agora você terá um mergulho profundo no óleo de coco e tudo o que ele traz para você.

 

O que é óleo de coco?

Em uma palavra, o óleo de coco é um alimento amigo do corpo, saudável para o coração, ótimo para a saúde bucal e outros benefícios à saúde. Estruturalmente, o óleo de coco é retirado dos grãos de coco. É insípido e incolor e pode ser dividido em óleo de coco refinado e não refinado.

 

Entusiastas chamam o coco de ” superalimento”, mas não há evidências para garantir este termo – pelo menos ainda não.

 

Em termos de composição, o óleo de coco contém uma cornucópia de ácidos graxos e proteínas que contêm antioxidantes e proporcionam inúmeros benefícios à saúde. É rico nos chamados ácidos graxos de cadeia média (MCFA), que são, em grande parte, compostos de ácido caprílico, ácido láurico e ácido caprico.

 

Aproximadamente 60% de todos os óleos de coco são compostos dos três ácidos graxos acima, enquanto 90% das gorduras de óleo de coco são compostos de gorduras saturadas saudáveis ​​para o coração. O último número é o mais alto, e não é recomendável para muitos médicos. Por exemplo, 14% das calorias do azeite de oliva vêm de gordura saturada e 63% das calorias da manteiga vêm de gordura saturada.

 

Como regra, os nutricionistas adoram os MCFAs, observando que, entre outras vantagens, eles são facilmente digeríveis e, como são processados ​​pelo fígado, os MCFAs são convertidos de maneira mais eficaz e rápida em energia, e não gordura, dentro do corpo.

 

Aspectos nutricionais do óleo de coco

Aqui está como o óleo de coco é decomposto, nutricionalmente (com base em uma colher de sopa de óleo de coco).

  • 120 calorias.
  • 0 gramas de proteína
  • 14 gramas de gordura (12 = gordura saturada; 1 = gordura monoinsaturada; e 0,5 gramas de gorduras poliinsaturadas).
  • 0 miligramas (mg) de colesterol

Vale a pena notar que, em termos de componentes, os óleos de coco geralmente diferem em sua composição e em seus benefícios para a saúde.

Por exemplo, o óleo de coco parcialmente hidrogenado não é considerado saudável pelos nutricionistas – é semelhante a outros óleos processados ​​que contêm gorduras trans. No entanto, o chamado óleo de coco “virgem” vem do componente de frutas dos cocos e é extraído sem o uso de produtos químicos ou outros agentes estrangeiros. Assim, os nutricionistas são mais favoráveis ao óleo de coco virgem.

 

10 Benefícios do Óleo de Coco

Há um crescente número de evidências de que o óleo de coco oferece alguns benefícios à saúde, interna e externamente.

 

1. Um impulso no colesterol bom

Diz-se que o óleo de coco aumenta modestamente o nível de colesterol bom.

 

2. Bom para os níveis açúcar no sangue e diabetes

O óleo de coco pode ajudar a diminuir os níveis de obesidade e também combate a resistência à insulina – questões que muitas vezes levam ao diabetes tipo 2.

 

3. Ajuda a combater a doença de Alzheimer

O componente MCFA no óleo de coco – especialmente sua geração de cetonas pelo fígado – ajuda a reparar a função cerebral em pacientes com Alzheimer.

 

4. Ajuda a controlar doenças cardíacas e pressão alta

Como o óleo de coco é tão rico em gorduras saturadas, isso ajuda a aumentar o colesterol HDL (ou “bom”) para evitar doenças cardíacas e reduzir os triglicerídeos. Além disso, o óleo de coco também realiza um feito notável e saudável para o coração – ajuda a transformar o colesterol ruim em colesterol bom.

 

5. Auxilia na saúde do fígado

O óleo de coco também protege contra qualquer dano ao fígado e também ajuda na cura de infecções do trato urinário.

 

6. Aumenta a energia

O óleo de coco não refinado também aumenta a energia e a resistência, principalmente pela injeção direta do MCFA no fígado, que permite a conversão em energia.

 

7. Ajuda na digestão

Outro benefício do óleo de coco – ajuda na digestão dos alimentos, ajudando o corpo a absorver componentes lipossolúveis, como vitaminas e magnésio. Também elimina bactérias tóxicas e cândida, o que combate a má digestão e inflamação do estômago. Isso ajuda a prevenir úlceras estomacais.

 

8. Atua como uma pomada para feridas e queimaduras

O coco é bom para a pele, principalmente no tratamento de feridas, queimaduras e dermatites. Ele também atua como protetor solar e como um hidratante para a pele, graças aos dois ácidos graxos primários do óleo de coco não refinado, caprílico e láurico, e ao seu componente antioxidante, que se une para reduzir a inflamação sob a pele e promover uma melhor cicatrização.

 

9. Atua como um componente antienvelhecimento

Rico em antioxidantes, o óleo de coco é conhecido por retardar o processo de envelhecimento, geralmente controlando qualquer estresse indevido no fígado.

 

10. Ajuda com a perda de peso

O óleo de coco também pode ajudar na perda de peso, pois atua como queimador de gordura e queimador de calorias, especialmente com doses de óleo de coco não refinado. Ele também atua como um inibidor de apetite. Um estudo mostra que o ácido cáprico no óleo de coco ajuda a melhorar o desempenho da tireoide, o que reduz a frequência cardíaca em repouso do corpo e ajuda na queima de gordura para aumentar a energia.

 

11. Contém ácidos graxos saudáveis

O óleo de coco é rico em certas gorduras saturadas. Essas gorduras têm efeitos diferentes no corpo em comparação com a maioria das outras gorduras alimentares.

Os ácidos graxos do óleo de coco podem incentivar o corpo a queimar gordura e fornecem energia rápida ao corpo e ao cérebro. Eles também aumentam o colesterol HDL (bom) no sangue, o que pode ajudar a reduzir o risco de doença cardíaca.

A maioria das gorduras alimentares é classificada como triglicerídeos de cadeia longa (LCTs), enquanto o óleo de coco contém alguns triglicerídeos de cadeia média (MCTs), que são cadeias mais curtas de ácidos graxos.

Quando você come MCTs, eles tendem a ir direto para o fígado. Seu corpo as usa como uma fonte rápida de energia ou as transforma em cetonas.

As cetonas podem trazer benefícios poderosos para o seu cérebro, e os pesquisadores estudam cetonas como um tratamento para epilepsia, doença de Alzheimer e outras condições.

 

12. Pode melhorar a saúde do coração

O coco é um alimento incomum no mundo ocidental, sendo as pessoas preocupadas com a saúde os principais consumidores.

No entanto, em algumas partes do mundo, o coco – que é rico óleo de coco – é um alimento básico que as pessoas prosperam há gerações.

Por exemplo, um estudo de 1981 observou que a população de Tokelau, uma cadeia de ilhas no Pacífico Sul, obteve mais de 60% de suas calorias de cocos. Os pesquisadores relataram não apenas uma boa saúde geral, mas também taxas muito baixas de doenças cardíacas.

 

Os habitantes de Kitavan na Papua Nova Guiné também comem muito coco, ao lado de tubérculos, frutas e peixes, e têm pouco derrame ou doença cardíaca.

 

13. Pode incentivar a queima de gordura

A obesidade é uma das maiores condições de saúde que afetam o mundo ocidental atualmente.

Enquanto algumas pessoas pensam que a obesidade é apenas uma questão de quantas calorias alguém come, a fonte dessas calorias também é importante. Diferentes alimentos afetam seu corpo e hormônios de maneiras diferentes.

Os MCTs no óleo de coco podem aumentar o número de calorias que seu corpo queima, em comparação com os ácidos graxos de cadeia mais longa.

Um estudo descobriu que a ingestão de 15 a 30 gramas de MCT por dia aumentou o gasto energético em 24 horas em 5%.

No entanto, esses estudos não analisaram especificamente os efeitos do óleo de coco. Eles examinaram os efeitos na saúde dos MCTs, excluindo o ácido láurico, que representam apenas 14% do óleo de coco.

Atualmente, não há boas evidências para dizer que a ingestão de óleo de coco aumentará o número de calorias que você gasta.

Tenha em mente que o óleo de coco é muito rico em calorias e pode facilmente levar ao ganho de peso se consumido em grandes quantidades.

 

14. Pode ter efeitos antimicrobianos

O ácido láurico compõe cerca de 50% dos ácidos graxos do óleo de coco.

Quando seu corpo digere ácido láurico, forma uma substância chamada monolaurina. Tanto o ácido láurico quanto a monolaurina podem matar patógenos nocivos, como bactérias, vírus e fungos.

Por exemplo, estudos em tubo de ensaio mostram que essas substâncias ajudam a matar a bactéria Staphylococcus aureus, que causa infecções por estafilococos, e a levedura Candida albicans, uma fonte comum de infecções fúngicas em humanos.

Há também algumas evidências de que o uso do óleo de coco como enxaguante bucal – um processo chamado extração de óleo – beneficia a higiene bucal, embora os pesquisadores considerem as evidências fracas.

Não há evidências de que o óleo de coco reduz o risco de resfriado comum ou outras infecções internas.

 

15. Pode reduzir a fome

Uma característica interessante dos triglicerídeos de cadeia média (MCTs) é que eles podem reduzir a fome.

Isso pode estar relacionado à maneira como seu corpo metaboliza gorduras, porque as cetonas podem reduzir o apetite de uma pessoa.

Em um estudo, 6 homens saudáveis ​​ingeriram quantidades variadas de MCTs e LCTs. Aqueles que comeram mais MCTs consumiram menos calorias por dia.

Outro estudo em 14 homens saudáveis ​​relatou que aqueles que comiam mais MCTs no café da manhã ingeriam menos calorias no almoço.

Esses estudos eram pequenos e tinham um prazo muito curto. Se esse efeito persistir a longo prazo, pode levar à redução do peso corporal por vários anos.

Embora o óleo de coco seja uma das fontes naturais mais ricas dos MCTs, não há evidências de que a ingestão de óleo de coco reduz o apetite mais do que outros óleos.

De fato, um estudo relata que o óleo de coco é menos preenchido que o óleo MCT.

 

16. Pode reduzir convulsões

Atualmente, os pesquisadores estudam a dieta cetogênica, que é muito baixa em carboidratos e rica em gorduras, para tratar vários distúrbios.

O uso terapêutico mais conhecido dessa dieta é o tratamento da epilepsia resistente a medicamentos em crianças.

A dieta reduz drasticamente a taxa de convulsões em crianças com epilepsia, mesmo naquelas que não tiveram sucesso com vários tipos de drogas. Os pesquisadores não sabem ao certo o porquê.

Reduzir a ingestão de carboidratos e aumentar a ingestão de gordura leva a um aumento considerável das concentrações de cetonas no sangue.

Como os MCTs no óleo de coco são transportados para o fígado e transformados em cetonas, os profissionais de saúde podem usar uma dieta ceto modificada que inclui MCTs e uma dose mais generosa de carboidratos para induzir a cetose e ajudar a tratar a epilepsia.

 

17. Pode aumentar o colesterol HDL (bom)

O óleo de coco contém gorduras saturadas naturais que aumentam os níveis de colesterol HDL (bom) em seu corpo. Eles também podem ajudar a transformar o colesterol LDL (ruim) em uma forma menos prejudicial.

Ao aumentar o HDL, muitos especialistas acreditam que o óleo de coco pode melhorar a saúde do coração em comparação com muitas outras gorduras.

Em um estudo em 40 mulheres, o óleo de coco reduziu o colesterol total e LDL (ruim) e aumentou o HDL, em comparação com o óleo de soja.

Outro estudo em 116 adultos mostrou que, após um programa de dieta que incluía óleo de coco, os níveis de HDL (bom) colesterol aumentaram em pessoas com doença arterial coronariana.

 

18. Pode proteger sua pele, cabelos e dentes

O óleo de coco tem muitos usos que não têm nada a ver com a alimentação.

Muitas pessoas o usam para fins cosméticos para melhorar a saúde e a aparência de sua pele e cabelos.

Estudos mostram que o óleo de coco pode melhorar o teor de umidade da pele seca e reduzir os sintomas do eczema.

O óleo de coco também pode proteger contra danos ao cabelo. Um estudo mostra que ele pode funcionar como um protetor solar fraco, bloqueando cerca de 20% dos raios ultravioleta (UV) do sol.

A extração de óleo, que envolve óleo de coco na boca, como enxaguante bucal, pode matar algumas das bactérias nocivas na boca. Isso pode melhorar a saúde bucal e reduzir o mau hálito, embora sejam necessárias mais pesquisas (25 Fonte Confiável, 26 Fonte Confiável)

 

19. Pode aumentar a função cerebral na doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer é a causa mais comum de demência. Geralmente afeta idosos.

Essa condição reduz a capacidade do seu cérebro de usar glicose como energia.

Os pesquisadores sugeriram que as cetonas podem fornecer uma fonte de energia alternativa para essas células cerebrais com defeito, reduzindo os sintomas da doença de Alzheimer.

Os autores de um estudo de 2006 relataram que os MCTs melhoraram a função cerebral em pessoas com formas mais leves da doença de Alzheimer.

No entanto, a pesquisa ainda é preliminar e nenhuma evidência sugere que o próprio óleo de coco combate essa doença.

 

20. Pode ajudar a reduzir a gordura abdominal prejudicial

Como alguns dos ácidos graxos do óleo de coco podem reduzir o apetite e aumentar a queima de gordura, também pode ajudar a perder peso.

A gordura abdominal, ou gordura visceral, se aloja na cavidade abdominal e ao redor de seus órgãos. Os MCTs parecem ser especialmente eficazes na redução da gordura da barriga em comparação com os LCTs.

A gordura abdominal, o tipo mais prejudicial, está ligada a muitas doenças crônicas.

A circunferência da cintura é um marcador fácil e preciso da quantidade de gordura na cavidade abdominal.

Em um estudo de 12 semanas em 40 mulheres com obesidade abdominal, aquelas que tomaram 2 colheres de sopa (30 mL) de óleo de coco por dia tiveram uma redução significativa no Índice de Massa Corporal (IMC) e na circunferência da cintura.

Enquanto isso, um estudo de 4 semanas em 20 homens com obesidade notou uma redução na circunferência da cintura de 1,1 polegadas (2,86 cm) depois de tomar 2 colheres de sopa (30 mL) de óleo de coco por dia.

O óleo de coco ainda é rico em calorias, então você deve usá-lo com moderação. Substituir algumas de suas outras gorduras para cozinhar por óleo de coco pode trazer um pequeno benefício para a perda de peso, mas as evidências são inconsistentes no geral (31 Fonte Confiável)

 

Riscos do óleo de coco

Alguns críticos do óleo de coco como remédio para a saúde e o bem-estar recomendam que os usuários diminuam a empolgação antes de ingerir muito óleo de coco.

 

Para começar, a maior parte da pesquisa médica não foi feita em seres humanos, portanto, quaisquer conclusões devem ser tiradas com bastante cautela. Além disso, o óleo de coco é rico em calorias e usado em excesso, pode resultar em ganho de peso, principalmente se associado a uma dieta hipercalórica.

 

Na realidade, qualquer risco associado ao óleo de coco se resume a gorduras saturadas, que são abundantes nos cocos. A American Hospital Association emitiu recentemente um alerta contra gorduras saturadas, especialmente óleo de coco. Além disso, a American Heart Association recomenda manter a ingestão de gordura saturada em não mais que 6% da ingestão total de calorias.

 

Em geral, os profissionais médicos recomendam afastar-se das gorduras saturadas e em substituir por gorduras insaturadas para aumentar a saúde do coração e os hábitos alimentares mais saudáveis.

 

Formas de uso do óleo de coco

Especialistas em saúde recomendam limitar a ingestão diária de óleo de coco a duas colheres de sopa (30 ml) – isso deve deixar espaço suficiente em sua dieta para nutrientes adicionais de gordura, como oleaginosas, azeite de oliva e algumas frutas.

Se você estiver tomando óleo de coco pela primeira vez, comece gradualmente com uma colher de sopa de óleo de coco e suba até duas colheres de sopa por dia. Ingerir muito óleo de coco logo de cara pode causar náusea, alertam os especialistas.

Outros efeitos colaterais relacionados ao óleo de coco incluem dor de cabeça, tontura, fadiga, glândulas inchadas, dor nas articulações ou nos músculos, dor de estômago, calafrios, urticária ou erupção cutânea ou outras condições adversas da pele.

 

Ao usar o óleo de coco, você tem várias opções, incluindo:

 

Fritar e refogar. O óleo de coco é idealmente usado em uma panela, para fritar ou refogar carne, peixe, frango, ovos ou legumes.

 

Assar e grelhar. Você também pode usar o óleo de coco para regar carne, peixe ou frango antes de grelhar no forno. Alguns especialistas em saúde também recomendam o óleo de coco como substituto de ovos ou manteiga em pratos assados, como pratos de curry ou vegetais.

 

Adicione ao café e ao chá. Você também pode adicionar óleo de coco ao café ou chá, em quantidades moderadas (não é recomendável mais do que uma colher de chá).

 

Como suplemento. Os usuários também podem comprar óleo de coco, geralmente em forma de cápsula, em uma farmácia, loja de alimentos naturais, supermercado ou online através de empresas como a Amazon. Uma palavra de aviso – o óleo de coco em forma de cápsula só está disponível em quantidades mínimas por cápsula. Consequentemente, para obter a quantidade diária recomendada de duas colheres de sopa de óleo de coco, opte por consumir como ingrediente culinário em uma refeição que estiver preparando.

 

Os profissionais de saúde que divulgam os benefícios do óleo de coco recomendam evitar doses refinadas e, em vez disso, optam pelo óleo de coco virgem. Ao armazenar o óleo de coco, mantenha-o em temperatura ambiente, como faria com o azeite de oliva virgem, para obter melhores resultados.

 

Tamanho do mercado de óleo de coco

Em 2016, o tamanho do mercado global de óleo de coco ficou em US $ 4,6 bilhões, embora as vendas tenham caído em 2017, com o aumento dos preços do coco e a demanda desacelerando moderadamente.

Os países onde o óleo de coco é mais consumido são os EUA, a Indonésia e as Filipinas, com os dois últimos países, juntamente com o México e o Vietnã, sendo os maiores produtores de óleo de coco desde 2017.

 

Conclusão

O óleo derivado do coco tem vários benefícios emergentes para a sua saúde.

Para aproveitar ao máximo, escolha óleo de coco virgem orgânico em vez de versões refinadas.

 

 

Isabela Ramirez
NUTRICIONISTA/ Formada pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2011