Óleo de jojoba: para que serve e como usar o óleo de jojoba
Previous
RANDOM
Azeite de oliva: 11 Benefícios do Azeite de oliva - Para Que Serve e Propriedades
Next

Óleo de rosa mosqueta: para que serve e como usar o óleo de rosa mosqueta

por Isabela Ramirez on maio 7, 2020

9 usos surpreendentes para o óleo de rosa mosqueta

O que é óleo de rosa mosqueta?

O óleo de rosa mosqueta também é conhecido como óleo de semente de rosa mosqueta. É derivado da roseira rosa canina, que é cultivada principalmente no Chile.

Ao contrário do óleo de rosa, que é extraído das pétalas de rosa, o óleo de rosa mosqueta é pressionado nos frutos e nas sementes da planta.

Valorizado desde os tempos antigos por seus valiosos benefícios de cura, o óleo de rosa mosqueta é rico em vitaminas que nutrem a pele e ácidos graxos essenciais. Ele também contém fenóis que demonstraram possuir propriedades antivirais, antibacterianas e antifúngicas. O óleo de rosa mosqueta é frequentemente usado como um óleo transportador para óleos essenciais que são intensos demais para colocar diretamente em sua pele.

Continue lendo para saber mais sobre como o óleo de rosa mosqueta pode beneficiar sua pele e como adicioná-lo à sua rotina de cuidados com a pele.

 

1. Hidrata

A hidratação é essencial para a pele macia e flexível. A falta de hidratação pode ser um problema durante condições climáticas extremas ou com a idade da pele.

O óleo de rosa mosqueta contém uma variedade de ácidos graxos essenciais, incluindo o ácido linoleico e linolênico. Os ácidos graxos ajudam a manter as paredes celulares fortes, para que não percam água.

Os muitos ácidos graxos do óleo de rosa mosqueta o tornam uma excelente opção para hidratar a pele seca e com coceira. A pele também absorve facilmente o óleo, permitindo que seus antioxidantes viajem profundamente nas camadas da pele.

 

2. Umidifica

O umidificador ajuda a bloquear a hidratação natural da pele e quaisquer óleos adicionados.

Um estudo de 2015 sobre o uso de pó de rosa mosqueta sugere que a rosa mosqueta oferece várias propriedades antienvelhecimento, incluindo a capacidade de manter a pele umidificada. Os pesquisadores descobriram que os participantes que tomaram pó de rosa mosqueta por via oral experimentaram melhorias notáveis ​​na umidade geral da pele.

Você também pode receber esses benefícios aplicando óleo de rosa mosqueta topicamente. O óleo de rosa mosqueta é um óleo seco ou não oleoso. Isso o torna um ótimo hidratante e umidificador natural para todos os tipos de pele.

 

3. Ajuda a esfoliar e a clarear a pele

A esfoliação natural com óleo de rosa mosqueta pode ajudar a reduzir o embotamento e deixar você com uma pele brilhante e vibrante.

Isso ocorre porque o óleo de rosa mosqueta é rico em vitamina A e vitamina C. A vitamina A, ou retinol, incentiva a renovação das células da pele. A vitamina C também ajuda na regeneração celular, aumentando o brilho geral.

 

4. Ajuda a aumentar a produção de colágeno

O colágeno é o bloco de construção da pele. É essencial para a elasticidade e firmeza da pele. Seu corpo naturalmente produz menos colágeno à medida que envelhece.

O óleo de rosa mosqueta é rico em vitaminas A e C, que são necessárias para a produção de colágeno. Também foi mostrado que a rosa mosqueta pode inibir a criação de MMP-1, uma enzima que decompõe o colágeno no corpo.

A pesquisa também apoia esses benefícios. Em um estudo de 2015, os pesquisadores descobriram que os participantes que tomaram pó de rosa mosqueta por via oral experimentaram um aumento notável na elasticidade da pele.

 

5. Ajuda a reduzir inflamações

A rosa mosqueta é rica em polifenóis e antocianina, o que pode ajudar a reduzir inflamações. Ele também contém vitamina E, um antioxidante conhecido por seus efeitos anti-inflamatórios.

Por estes fatores, o óleo de rosa mosqueta pode ajudar a acalmar a irritação resultante de:

  • rosácea
  • psoríase
  • eczema
  • dermatite

 

6. Ajuda a proteger contra danos do sol

Os danos cumulativos resultantes da exposição ao sol durante toda a vida desempenham um papel importante no envelhecimento prematuro. A exposição aos raios UV também pode interferir na capacidade do organismo de produzir colágeno.

O óleo de rosa mosqueta contém antioxidantes como as vitaminas A, C e E. Essas vitaminas demonstraram combater sinergicamente os danos visíveis do sol. Eles também podem ajudar a impedir o foto-envelhecimento.

Por estas razões, o óleo de rosa mosqueta pode ser usado para ajudar a reduzir os efeitos negativos da exposição aos raios UV. Mas não deve ser usado no lugar do protetor solar. Converse com seu médico ou dermatologista sobre como você pode, com segurança, usar ambos na sua rotina de cuidados com a pele.

 

7. Ajuda a reduzir a hiperpigmentação

A hiperpigmentação ocorre quando o excesso de melanina forma manchas escuras ou manchas na pele. Isso pode resultar de vários fatores, incluindo:

  • exposição ao sol
  • alterações hormonais, como na gravidez ou menopausa
  • certos medicamentos, incluindo pílulas anticoncepcionais e medicamentos quimioterápicos

O óleo de rosa mosqueta é rico em vitamina A. A vitamina A é composta de vários compostos nutricionais, incluindo retinoides. Os retinoides são conhecidos por sua capacidade de reduzir a hiperpigmentação e outros sinais visíveis de envelhecimento com uso regular.

O óleo de rosa mosqueta também contém licopeno e betacaroteno. Estes ingredientes possuem propriedades de clareamento da pele, tornando-os ingredientes básicos em muitos produtos para clareamento da pele.

Estudos em animais indicam que o extrato de rosa mosqueta contém propriedades redutoras de melanina, e pode justificar estudos adicionais para seu uso em humanos.

 

8. Ajuda a reduzir cicatrizes e linhas finas

O óleo de rosa mosqueta é rico em ácidos graxos essenciais e antioxidantes, essenciais para a regeneração de tecidos e células da pele. Não é de se estranhar que o óleo tenha sido usado por muito tempo como remédio popular para a cicatrização de feridas, bem como a redução de cicatrizes e linhas finas.

Um estudo de 2015 sobre o pó de rosa mosqueta mostrou uma redução significativa na aparência daquelas marcas de expressão ao redor dos olhos, também conhecidas como pés de galinha, após oito semanas de tratamento. Os participantes deste estudo consumiram o pó por via oral.

Em um estudo separado de 2015, os participantes com cicatrizes pós-cirúrgicas trataram o local da incisão duas vezes por dia com óleo de rosa mosqueta tópica. Após 12 semanas de uso, o grupo que utilizou óleo de rosa mosqueta experimentou melhorias significativas na cor da cicatriz e na inflamação quando comparado ao grupo que não recebeu tratamento tópico.

 

9. Ajuda a aumentar a imunidade

O óleo de rosa mosqueta é rico em antioxidantes e ácidos graxos poli-insaturados, como o ácido linoleico, que são imprescindíveis para impedir a quebra das membranas celulares da pele. Células fortes e saudáveis ​​agem como uma barreira para impedir que bactérias invadam a pele, o que pode levar a surtos e infecções.

Em estudos com animais e humanos, o pó de rosa mosqueta demonstrou reforçar a força e a longevidade das células da pele. A rosa mosqueta em pó também demonstrou reduzir a produção de MMP-1, uma enzima que quebra as estruturas celulares como o colágeno.

 

Como usar o óleo de rosa mosqueta

O óleo de rosa mosqueta é um óleo seco que é facilmente absorvido na pele.

Embora seja geralmente seguro para todos os tipos de pele, você deve executar um teste antes do primeiro uso. Isso garantirá que você não seja alérgico ao óleo.

Para fazer isso:

  1. aplique uma pequena quantidade de óleo de rosa mosqueta no antebraço ou no pulso
  2. cubra a área tratada com um curativo ou gaze
  3. após 24 horas, verifique a área quanto a sinais de irritação
  4. se a pele estiver com coceira ou inflamação, não use óleo de rosa mosqueta (consulte seu médico se a irritação persistir)
  5. se a pele não mostrar sinais de irritação, você está seguro para usá-la em outro lugar

Depois de fazer um teste de correção, você pode aplicar óleo de rosa mosqueta até duas vezes por dia. O óleo pode ser usado puramente ou você pode adicionar algumas gotas a outro óleo transportador ou ao seu hidratante favorito.

O óleo de rosa mosqueta pode ficar rançoso rapidamente. Para ajudar a prolongar sua vida útil, armazene o óleo em um local fresco e escuro. Você também pode guardar na geladeira.

Embora seja um pouco mais caro, o óleo de rosa mosqueta orgânico prensado a frio é recomendado para obter pureza e obter melhores resultados.

Algumas sugestões populares incluem:

  • Óleo de Rosa Mosqueta Radha
  • Óleo de Semente de Rosa Mosqueta Kate Blanc
  • Óleo de Rosa Mosqueta Majestic Pure Cosmeceuticals
  • Óleo de Semente de Rosa Mosqueta Orgânica Life-Flo
  • Óleo essencial de semente de rosa mosqueta Teddie Organics

 

Possíveis efeitos colaterais e riscos

O óleo de rosa mosqueta é geralmente seguro para todos os tipos de pele, mas a reação alérgica não é incomum. Antes de usar o óleo de rosa mosqueta pela primeira vez, você deve executar um teste de correção para garantir que sua pele possa tolerar o óleo.

Consulte o seu médico se você começar a experimentar:

  • pele vermelha e com coceira
  • olhos lacrimejantes pruriginosos
  • garganta arranhada
  • náusea
  • vômito

A anafilaxia é possível em casos graves de reação alérgica. Procure atendimento médico de emergência imediato se você começar a sentir:

  • dificuldade ao respirar
  • chiado
  • boca, garganta ou rosto inchados
  • batimento cardíaco acelerado
  • dor de estômago

 

Conclusão

O óleo de rosa mosqueta tem uma longa história como remédio terapêutico e produto de beleza. Está cheio de vitaminas, antioxidantes e ácidos graxos essenciais, todos valorizados por sua capacidade de nutrir a pele.

Estudos científicos que mostram a promessa do óleo de rosa mosqueta fazem dele uma opção intrigante para quem procura reduzir os sinais visíveis de envelhecimento, esclarecer cicatrizes ou melhorar a rotina de cuidados com a pele. Não é apenas razoavelmente acessível e fácil de usar, é considerado geralmente seguro para todos os tipos de pele.

Isabela Ramirez
NUTRICIONISTA/ Formada pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2011