in

Reeducação alimentar cardapio nutricionista: 10 regras de nutricionistas para a reeducação alimentar

Ideias de Cardápio Para Reeducação Alimentar

10 regras de nutricionistas para a reeducação alimentar

 

Quando o assunto é alimentação saudável, não faltam mitos e fake news. O pior de tudo é que todo dia uma dieta nova aparece, dando conselhos contraditórios. Só que se você pensar bem, o básico da alimentação saudável nunca muda.

 

Nutricionistas tentam esclarecer toda essa situação, e ensinar as pessoas a caminhar na direção da reeducação alimentar. Para isso, trazemos 10 regras (sim, regras!) para quem quer começar a comer bem, de maneira sustentável.

 

 

1. Capriche nos vegetais.

 

 

Esqueça aquela antiguidade da pirâmide de alimentar, e siga o modelo simplificado do “prato saudável”. Para montar um prato saudável, preencha metade dele com vegetais – e antes que pergunte, batata frita não conta! Escolha vegetais “crocantes”, como brócolis, vagem, couves de bruxelas, e verduras como couve e chicória. No outro lado do prato, coloque grãos integrais ou legumes, em um quarto, e proteína saudável no outro.

 

 

2. Invista em um café da manhã saudável.

 

 

Você já está cansado de saber, e é verdade: o café da manhã é a refeição dos campeões. Não pode negligenciar a primeira refeição do dia, porque ela é crucial para dar um pontapé no seu metabolismo, melhorar a função cognitiva e te ajudar a fazer escolhas alimentares melhores no resto do dia. O café da manhã ideal tem proteína, gorduras saudáveis, e um pouco de carboidratos complexos.

 

 

3. Não passe fome.

 

 

Isso não é uma má idéia só porque faz mal para sua saúde – acaba que no final piora a sua situação. Se você não comer o suficiente durante o dia, vai acabar exagerando de noite. Se toda a sua energia é gasta evitando a comida, você se condena à compulsão em outro momento. Ao invés de comer refeições saudáveis, à hora certa, você vai acabar se “parabenizando” mais tarde por ter ido tão “bem” durante o dia.

 

 

4. Se informe, quando for comer fora.

 

 

Se você está em reeducação alimentar, cardápios são seus melhores e piores amigos. Eles são essenciais, mas podem te enganar. Até as comidas que parecem saudáveis no papel podem estar cobertas de manteiga, ou algum outro molho. Não tenha medo de fazer perguntas, de tomar o controle. Pergunte sobre como um prato é preparado, peça por molhos específicos, e avise ao garçom que você está à procura de um prato simples e saudável.

 

 

5. Vá ao mercado com uma listinha de compras.

 

 

Todo mundo sabe que ir ao mercado com fome é receita para o desastre. Mas essa não é a única dica para fazer compras mais saudáveis. O maior erro que as pessoas cometem é não saber o que exatamente querem comprar e, por causa disso, acabam navegando os corredores, sem rumo. Isso leva à compra desnecessária de mais alimentos empacotados, ao invés de integrais e frescos.

 

PAra evitar esse erro, faça uma lista de compras antes de ir ao mercado, considerando todas as receitas que pretende fazer durante a semana, e foque em comprar os ingredientes para elas.

 

 

6. Diminua os alimentos processados.

 

 

Nem toda comida embalada é ruim, ou faz mal, mas você precisa ler os rótulos com cuidado para fazer escolhas conscientes. De preferência, foque nas opções saudáveis convenientes, como vegetais congelados e feijão enlatado, e dispense as comidas congeladas cheias de conservantes, gordura e muito açúcar e sal.

 

 

7. Limite o consumo de sal e açúcar.

 

 

Esquecer o saleiro e o açucareiro é um passo na direção certa, mas não é daí que vem a maior parte do sal e açúcar nas nossas dietas. O vilão mais comum são as comidas prontas, desde molhos de macarrão até sopas. De novo, recomendamos que leia bem os rótulos, começando pelo que come no café da manhã (alguns cereais têm até 20 gramas de açúcar!).

 

Uma dica básica: divida a quantidade de açúcar (em gramas) por 4, e você vai achar a quantidade de colheres de chá. Aí, pense se você colocar isso tudo de açúcar na sua boca.

 

 

8. Pare de contar calorias.

 

 

Nem toda caloria é igual a outra. Muita gente come biscoitos, achando que 100 calorias deles não é grande coisa, mas acabam não prestando atenção no resto das informações nutricionais, especialmente açúcar e gordura. Por isso, uma estratégia melhor é focar em comidas nutritivas e saudáveis, que acabam sendo naturalmente pobre em calorias, mas ricas em vitaminas, minerais e fibras.

 

 

9. Escolha alimentos integrais.

 

 

Quando falamos de carboidratos, integrais são melhores. Comidas integrais em geral contêm mais nutrientes e fibras do que as alternativas processadas. E os carboidratos complexos não só são mais saudáveis, mas também te mantêm saciado por mais tempo. Então, ao invés de cortar os carboidratos da sua vida para perder peso, troque os refinados por integrais.

 

 

10. Curta sua comida.

 

 

Pode parecer super óbvio, mas muita gente acha que não dá para seguir uma alimentação saudável e ao mesmo tempo gostar do que come. Finja que nunca aprendeu o que é uma “dieta”. Ao invés disso, trabalhe a sua reeducação alimentar, com um cardápio feito por nutricionistas que te ajudará a fazer escolhas mais saudáveis para um estilo de vida melhor, no geral.

 

Para alcançar suas metas, encontre comidas nutritivas que você goste. A comida tem que ser algo que você curta, que possa apreciar. Não é um combustível qualquer.

Written by hello

Dieta dos pontos: como fazer, cardápio e tabela de pontos

Ovolactovegetarianismo – Dieta Ovo-Lacto-Vegetariana: benefícios, desvantagens e cardápio