in , ,

Suplementos alimentares indicados por especialistas

O que são suplementos alimentares: para quem, quando e por quê

Quais os principais tipos de suplementos alimentares …

 

É difícil encontrar alguém que não saiba o que são suplementos alimentares. Basta abrir as mídias sociais e você encontrará inúmeros suplementos que as pessoas juram funcionar – pílulas de açafrão, goji berry em pó, espirulina, couve em pó. Você escolhe.

 

Com tantos suplementos por aí que não passam de golpes, é complicado separar tipos de suplementos alimentares bons dos inúteis.

 

Bem, perguntamos a quatro especialistas em saúde quais suplementos eles realmente usam e recomendam e, o que é mais importante, em que circunstâncias você realmente deve tomá-los.

 

De acordo com Alexandra Parker e Anna Debenham, a primeira e melhor maneira de obter nutrientes é através da alimentação.

 

“Por sermos o tipo de nutricionistas que recomendam alimentos integrais para uma saúde boa e nutrição equilibrada, a suplementação de vitaminas e micronutrientes geralmente não é nossa primeira recomendação”, disse Parker ao The Huffington Post Australia.

 

“Alimentos devem sempre vir em primeiro lugar. Eles fornecem vitaminas da forma mais biologicamente disponível, nas quantidades certas e combinadas com outros nutrientes complementares. Acreditamos que, se você é saudável, um padrão de alimentação equilibrado nunca deve ser substituído por um suplemento. Cada vez mais vemos pessoas que seguem uma dieta pobre, bebem e fumam, e acreditam que tudo vai dar certo se eles tomarem um suplemento”.

 

“Os suplementos vitamínicos não devem ser usados ​​como substitutos de uma dieta equilibrada e, se você os tomar, é importante não exceder sua necessidade diária. A escolha de um bom suplemento deve ser uma decisão informada e sábia”, disse Vogt.

 

Embora os suplementos possam ser comercializados como “pílulas mágicas’, infelizmente eles não fornecem nutrientes iguais aos encontrados nos alimentos, nem consertam uma dieta ruim.

 

“Um pedaço de fruta fresca, por exemplo, contém antioxidantes, fitoquímicos, fibras e muitos outros nutrientes que não entram no frasco de vitaminas, mas desempenham um papel importante em nossa saúde”, disse Debenham ao HuffPost Australia.

 

“Tendo dito isso, suplementos podem ser interessantes sob certas circunstâncias, e há boas evidências para sugerir que, se um suplemento vitamínico ou mineral for tomado para suprir uma deficiência, ele trará resultados benéficos. Mas, com exceção desses grupos específicos de pessoas e situações, a maioria de quem come uma dieta balanceada não precisa de suplementação.”

 

Tá, então quem precisa de suplementos alimentares?

 

As principais situações em que as pessoas podem precisar suplementar sua dieta envolvem casos em que a alimentação natural não é suficiente para atender às necessidades nutricionais de um indivíduo, e a suplementação se torna parte integrante do bem-estar dessa pessoa. Alguns exemplos incluem:

 

  • Pessoas tentando engravidar, e grávidas (um mês antes da concepção e três meses depois) – o folato pode reduzir o risco de defeitos do tubo neural.
  • Pessoas que seguem uma dieta vegana ou vegetariana rigorosa e idosos que não se alimentem adequadamente ou tenham problemas absorvendo seu alimento – podem suplementar ferro e vitamina B12, já que esses nutrientes são encontrados quase exclusivamente em produtos de origem animal.
  • Pessoas com alergia ou intolerância, como intolerância à lactose – cálcio
  • Doença auto-imune, como por exemplo, doença de Crohn, fibrose cística ou doença celíaca – a suplementação pode ser necessária em algum momento para corrigir eventuais deficiências nutricionais.
  • Pessoas que não recebem luz solar suficiente (por exemplo, pessoas acamadas, idosos, homens e mulheres que usem véus) – vitamina D
  • Após um ciclo de antibióticos – os probióticos podem ser benéficos para restaurar a saúde intestinal após uma rodada de tratamento com antibióticos.
  • Pessoas com desequilíbrios hormonais específicos, como ovários policísticos.

 

“É importante observar que todos temos requisitos nutricionais individuais e problemas de saúde em diferentes estágios da vida, e é ideal escolher suplementos que atendam a essas necessidades específicas”, afirmou Vogt.

 

Então, como você sabe quando começar a usar suplementos?

 

“Se você está cansado, se exercitando muito, seguindo uma dieta restrita ou têm opções alimentares limitadas como, por exemplo, quando você está viajando, é uma boa hora para suplementar”, disse a treinadora de celebridades Tegan Haining.

 

“Quando se trata de suplementos, geralmente é difícil descobrir em qual confiar. É muito importante entender que os suplementos não conseguem abranger tudo”, explicou Parker.

“É melhor evitar ir ao supermercado ou pesquisar on-line quando você não sabe o que está procurando ou está se auto diagnosticando.”

 

“Os exames de sangue podem ser úteis, mas nem sempre são necessários. É altamente recomendável falar com seu médico ou nutricionista para determinar sua necessidade de suplementação”.

 

Além disso, nem todos os suplementos devem ser tomados a longo prazo e as doses variam de acordo com suas necessidades específicas.

 

“Alguns suplementos têm efeitos adversos, como toxicidade ou interferência na absorção de nutrientes quando tomados em excesso. Por exemplo, vitamina A, B ou zinco“, diz Parker.

 

Se for comprar suplementos mesmo assim, considere algumas coisas:

 

  • Comece com a dosagem mínima primeiro, e aumente conforme necessário.
  • Procure suplementos sem adições, corantes ou ingredientes desnecessários.
  • Pense na suplementação como um investimento para a sua saúde e sempre escolha qualidade acima de preço. Tente não escolher um produto levando em consideração apenas a sua marca, marketing ou preço.
  • Coma comida de verdade, seguindo uma dieta equilibrada mesmo se tomar os suplementos.

 

E, finalmente, aqui estão os principais suplementos nutricionais recomendados pelos profissionais da área.

 

 

1. Óleo de peixe

 

“Um dos principais nutrientes que muitos de nós não consome o suficiente é o ômega 3 de cadeia longa (que é encontrado naturalmente em peixes oleosos, como o salmão)”, afirmou Debenham ao HuffPost Australia.

 

“Há evidências fortes mostrando que o ômega 3 é necessário para um coração e cérebro saudáveis, e desempenha um papel na redução do processo inflamatório no corpo todo”.

 

O óleo de peixe é rico em ácidos graxos ômega 3, incluindo ácido eicosapentaenóico (EPA) e ácido docosahexaenoico (DHA).

 

“Não podemos produzi-los em nossos corpos, por isso é essencial consumi-los através de nossa dieta ou suplementação”, diz Vogt. “Escolha um suplemento com alta concentração de EPA e DHA e um que tenha pureza certificada, e seja produzido de maneira sustentável”.

 

“Eu também indico óleo de fígado de bacalhau, que é rico em vitamina D e A”, acrescentou Haining.

 

 

2. Probióticos

 

Os probióticos são bactérias ‘boas’ que revestem nosso trato digestivo e ajudam o corpo a absorver nutrientes e combater infecções.

 

“Eu sempre tomo um probiótico para garantir minha saúde estomacal”, disse Haining.

 

“Existem muitas evidências científicas mostrando que a saúde estomacal afeta diretamente nosso sistema imunológico. Tomar probióticos diariamente pode ser uma maneira simples de manter seu estômago saudável e seu sistema imunológico forte”, disse Parker.

 

“Seja através de cápsula, bebida ou pó, a escolha é sua. Se você tomou antibióticos, suplementar com probióticos fará um bem ainda maior para o seu estômago”.

 

É importante notar que existem diferentes cepas de probióticos, explica Vogt.

 

“Certas cepas de probióticos apóiam a imunidade, outras digestão e algumas até ajudam a regular o peso e equilibrar os hormônios”.

 

 

3. Vitamina D

 

A vitamina D é importante para fortalecer os ossos, e aprimorar a saúde muscular, bem como a saúde em geral.

 

“A vitamina D é um nutriente solúvel em gordura e é um dos 24 micronutrientes essenciais para a sobrevivência humana. Devido às taxas crescentes de deficiência de vitamina D e suas consequências, a suplementação é incentivada se níveis ótimos não estiverem presentes no corpo”, disse Vogt.

 

“A maioria de nós provavelmente recebe vitamina D suficiente através do sol durante os meses de verão (você só precisa de cerca de 15 a 20 minutos de exposição). No entanto, durante o inverno, se você costuma gastar muito tempo em ambientes fechados, pode se beneficiar do consumo de suplementos de vitamina D “, acrescentou Parker.

 

 

4. Magnésio

 

O magnésio é um nutriente importante que desempenha um papel em centenas de reações enzimáticas, incluindo metabolização de alimentos, síntese de ácidos graxos e proteínas e transmissão de impulsos nervosos.

 

“O magnésio também é ótimo para tomar à noite, porque ajuda a ter um sono melhor, e gerenciar os níveis de estresse”, disse Haining.

 

 

5. Proteína

 

Apesar da maioria das pessoas ser perfeitamente capaz de ingerir proteínas o suficiente apenas com a alimentação (seja através de produtos animais ou vegetais), grupos específicos podem precisar de suplementação – como os atletas ou aqueles que têm um regime de treinamento físico intenso.

 

“Quando se trata de ganho muscular e perda de gordura, a proteína é a rainha nutrientes. Foi provado que a proteína ajuda na perda de peso, acelerando o metabolismo e reduzindo a fome e o apetite”, diz Vogt.

 

“A proteína de soro de leite (Whey) é a melhor opção, mas se você tiver alguma intolerância ao leite, pode usar suplementos de proteínas vegetais”.

Written by hello

Os 6 melhores chás para emagrecer e perder barriga

caminhada emagrece – Como perder peso com caminhada